Garotas fãs de Cristo: Viverei em Cristo pela oração

Viverei em Cristo pela oração


“Viverei em Cristo pela oração” é o primeiro ideal das Mensageiras do Rei (uma organização missionária para meninas de 9 a 16 anos das igrejas Batistas). E é sobre esse ideal que vamos falar hoje. Você tem uma vida de oração? Se sua resposta for não, comece a ler este artigo imediatamente, pois Cristo quer trabalhar o seu interior. Caso sua resposta seja sim, comece a ler esta postagem imediatamente, pois Deus quer renovar sua vida de oração de alguma forma.

“E tudo o que pedirdes em oração, crendo; recebereis.” (Mateus 21.22)

Uma das principais formas de desenvolver uma intimidade com Deus é através da oração, porque podemos falar com Ele do nosso jeitinho e temos a plena convicção que o Senhor nos ouvirá, pois Ele é onisciente, ou seja, Deus sabe de todas as coisas, inclusive as palavras que antes iremos falar; Ele já tem conhecimento (Sl 139.4). Então por que precisamos orar?

No Antigo Testamento após a queda do homem, a comunhão com Deus foi quebrada; o homem não podia mais se relacionar com Ele da mesma forma. Por isso o Senhor estabeleceu leis e regras para sua adoração como, por exemplo, matar um novilho para remissão de pecados e entregar ao sacerdote para realizar tudo conforme Deus havia descrito para o povo. Mas após a ressurreição de Cristo, o véu foi rasgado (Mt 27.51), isto é, o que separava nós de uma comunhão com Deus foi rasgado e podemos fazer orações ao Pai através de um único mediador que é Cristo Jesus (1 Tm 2.5). E é por esta razão que no final da oração dizemos “em nome de Jesus, amém”. A palavra “amém” quer dizer: assim seja feito.

A oração deve ser feita em direção a Deus através de Seu Filho, pois há um único que pode intermediar as nossas orações ao Pai. Ou seja, só através de Jesus Cristo que Deus ouve as orações de Seu povo. Por isso, o Senhor não ouve orações que são feitas para santos, até porque santos são imagens feitas por seres humanos e não podem ouvir, não podem falar, não podem olhar (Sl 135.15-17); e não podemos confiar nessas obras humanas. Leia mais sobre em: Devemos venerar Maria e outros santos?.

Jesus nos ensinou um modelo de oração que você deve já ter ouvido falar ou até mesmo sabe de cor que é o “Pai nosso” (Mt 6.9-13). Mas ele não deve ser repetido como “mantra” e sim ser um padrão para as nossas orações íntimas com Deus. Ao analisarmos o “Pai nosso” podemos compreender que Cristo estava a nos ensinar que em nossas orações devemos fazer nossas petições ao Pai visando a Sua glória e as necessidades nossas de cada dia (não só sua, mas de todo o povo de Deus espalhado pelo mundo inteiro).

No entanto, não devemos ficar encantadas com tanta eloquência (e nem repeti-las) que algumas pessoas fazem quando estão orando em público, Jesus nos advertiu quanto a isso em Mateus 6.5-8. Quando as pessoas oram querendo mostrar que sabem palavras bonitas, estão fora da vontade de Deus. E quando escrevi que você não pode repeti-las, estou me referindo a essa prepotência, e não que você não deve continuamente pedir a Deus o que você está precisando.

Certa vez Jesus Cristo contou uma parábola sobre o fariseu e o publicano (Lc 18.9-14), dizendo que aquele fariseu que estava cheio de si e se achando superior ao publicano que estava fazendo sua oração pedindo misericórdia a Deus porque era pecador, não foi justificado por causa de seu pecado de prepotência. Portanto, Deus ouvirá as suas orações contanto que não cultive os seus pecados. “Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria.” (Salmos 66.18). E o que você deve fazer, é arrepender-se dos seus pecados continuamente e pedir perdão a Deus, porque “se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1.9).

Deus também diz em Sua Palavra que apesar de sermos pessoas pecadoras, Ele dá coisas boas aos que lhe pedem (Mt 7.11) com conformidade à Sua vontade que é boa, agradável e perfeita (Rm 12.2). Lembrando que o Espírito Santo intercede por você de modo sobrenatural com gemidos inexprimíveis (Rm 8.26,27).

Portanto, precisamos orar para estar em comunhão com Deus, ter um relacionamento íntimo com Ele, como um pai tem com o seu filho (Rm 8.15); ter um relacionamento de amizade (Jo 15.15). Não tenha receio de falar com o Pai e nem fique preocupada como orar, pois as palavras vão surgir da sua boca através do Espírito o aperfeiçoamento vem com a prática.

“Orai sem cessar.” (1 Tessalonicenses 5.17)


O que você achou deste artigo? Deixe o seu comentário!
Meu e-mail: abileneleite96@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!