Garotas fãs de Cristo: Será mesmo que Jesus morreu por todas as pessoas?

Será mesmo que Jesus morreu por todas as pessoas?


É comum ouvirmos alguém falar: “Jesus morreu por mim e por você. Jesus morreu todos!”. Mas... o que a Bíblia diz sobre isso? Será que a obra que Cristo realizou na cruz se estendeu para toda a humanidade ou apenas para alguns (o povo de Deus)? Essa ideia que Jesus morreu por todas as pessoas é correto ou errado? Por isso, resolvi esclarecer esse assunto aqui.

Primeiramente, precisamos entender o que Cristo realizou na cruz. A Palavra de Deus diz que o sangue de Jesus comprou homens de toda tribo, língua, povo e nação (Ap 5.9), e para que estes fossem justificados e redimidos por seu sacrifício eficaz (Rm 3.23,24; 1 Pe 1.18,19); ou seja, os pecados destes foram perdoados (Ef 1.7; Hb 9.13-15), pois eles foram comprados por um alto preço (1 Co 6.20).

De modo mais simples, a obra de Jesus na cruz foi tomar sobre si os pecados de muitos – muitos homens de toda tribo, língua, povo e nação – e não de toda humanidade; pois caso isso acontecesse, a Bíblia estaria entrando em conflito consigo mesma. Por que se Deus pagou o pecado de todos através de Seu Filho, então como pode haver pessoas que são condenadas à perdição? Portanto, o alvo da obra de Jesus foi o povo escolhido de Deus, pois a Sua Palavra claramente diz que Ele morreu pelos Seus amigos. Caso tivesse morrido por todos, haveria uma contradição, porque Sua Palavra é bem clara em dizer que aquele que é amigo do mundo faz-se inimigo de Deus (Tg 4.4), ou seja, se Jesus morreu por todos, então Ele não morreu apenas por Seus amigos, mas também pelos Seus inimigos.

As Escrituras Sagradas dizem:

“Com julgamento opressivo ele foi levado. E quem pode falar dos seus descendentes? Pois ele foi eliminado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo ele foi golpeado.” (Isaías 53.8)

“Por isso eu lhe darei uma porção entre os grandes, e ele dividirá os despojos com os fortes, porquanto ele derramou sua vida até à morte, e foi contado entre os transgressores. Pois ele carregou o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.” (Isaías 53.12)

“Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” (Mateus 1.21)

“Como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” (Mateus 20.28)

“Isto é o meu sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados.” (Mateus 26.28)

“Assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas.” (João 10.15)

“Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos.” (João 15.13)

“Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue.” (Atos 20.28)

“Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela.” (Efésios 5.25)

“Assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam.” (Hebreus 9.28)

Há passagens que parecem sugerir que Cristo morreu pelo mundo inteiro, entretanto, precisamos analisar o seu contexto que às vezes é um pouco difícil de entender. Falando nisso, é bom que leiam também todo texto onde estão inseridos os versículos que foram citados acima.

“Por que a Bíblia diz que Deus ‘deseja que todos os homens sejam salvos’ (1 Tm 2.4)?”

É importante entender que as Escrituras se referem à vontade de Deus de várias maneiras e podemos separá-las de duas formas: a vontade decretiva (que trata-se do Seu decreto eterno de tudo o que irá ocorrer na história) e a vontade preceptiva (que trata-se de vontades expressas em preceitos e mandamentos, e revela o Seu desejo e pesar sincero em relação à algumas situações).

Quando a Bíblia faz tal expressão, não significa que de modo soberano (vontade decretiva), Deus deseja que todos os homens sejam salvos. Porém, refere-se à Sua bondade para com todos, em que Ele não sente prazer na morte dos perversos (Ez 18.32). E significa que o Senhor deseja que todos os tipos de pessoas sejam salvos, isto é, pessoas de toda tribo, língua, povo e nação (Ap 5.9), as quais já foi explicado anteriormente. Essa mesma linha de raciocínio segue em outros versículos que dizem: “se entregou a si mesmo como resgate por todos” (1 Tm 2.6); “porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens” (Tt 2.11); “provasse a morte por todos” (Hb 2.9).

“‘Deus amou o mundo’ (Jo 3.16), é uma prova que Jesus morreu pelo mundo inteiro?”

Não! Jesus o usou o termo “mundo” para mostrar que a Sua obra salvadora não estava restringida aos judeus, mas se aplicava às pessoas em todo o mundo, isto é, a propiciação pelos pecados estava disponível em todo o mundo. Caso o contrário, haveria uma contradição, pois o próximo verso diz que Deus enviou o Seu Filho não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele, ou seja, se o termo “mundo” tivesse o sentido de “mundo inteiro”, então a Bíblia estaria afirmando que todos estariam salvos em João 3.17.

A mesma situação acontece em 1 João 2.2 que diz: “Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo.”. Em outras palavras, Jesus é a propiciação pelos pecados, não somente dos judeus, mas também de muitas pessoas espalhadas por todo o mundo.

“Às vezes, a Bíblia se refere que Cristo morreu por todos nós. Por quê?”

Simplesmente porque o autor do livro tem em mente como destinatário o povo de Deus. Em 2 Coríntios 5.14 está escrito que “um morreu por todos”, mas o contexto nos faz entender que o “todos” se refere a “todos nós que morreram em Cristo e agora vivemos nEle” (vs. 15-17).

De modo semelhante, acontece em Romanos 5.6 que diz que “Cristo morreu pelos ímpios”, mas o contexto nos faz compreender que o termo “ímpios” não se refere aos condenados à perdição, mas sim que Cristo morreu por nós (o Seu povo), sendo nós ainda pecadores (v. 8), quando ainda éramos os seus inimigos (v. 10), pois Ele não morreu por justos (v. 7), até porque não há ninguém que seja justo (Rm 3.10). O termo “ímpios” significa a nossa condição antes de sermos justificados por Jesus.

“Há um versículo que diz que Jesus resgatou os que são condenados à perdição. Como explicar isso?”

Provavelmente deve estar se referindo a 2 Pedro 2.1: “No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.”

Na verdade, esse versículo não tem a intenção de dizer que Jesus resgatou os condenados à perdição (os falsos mestres); e para melhor entendimento deve-se ler todo o texto em que ele está inserido. Em outras palavras, esse trecho significa: “Tudo o que é pretendido aqui é que Deus, em Sua bondade, preserva algumas pessoas de passar pelos piores males deste mundo. Contudo, por seus ensinamentos falsos, eles negam aquEle que assim os preserva, e portanto acabam em destruição.” (John Owen, livro “Por quem Cristo morreu”, página 79).

Conclusão: A morte de Jesus na cruz não foi pelo mundo inteiro, mas Sua obra se aplica a todos os que Deus escolheu desde antes da fundação do mundo. Jesus morreu apenas pelos Seus, pelo Seu povo. E isso se chama Expiação Limitada ou Expiação Particular.



E o que você achou desta postagem? Ficou alguma dúvida e deseja que eu a esclareça? Deixe o seu comentário!
Meu e-mail: abileneleite96@gmail.com

2 comentários:

  1. Boas festas e feliz 2018!
    Bj e fk c Deus
    Nana - http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nana, já tinha visto o seu comentário antes, mas sempre fico deixando pra depois responder e fico enrolada aqui. Muito Obrigada, mesmo. Que seu 2018 esteja e continue sendo abençoado; e 2019 melhor ainda!

      Beijos e fique na paz de Cristo!

      Excluir

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!