Existe “pecadinho” e “pecadão” OU pecado é tudo igual?


Provavelmente você já deve ter ouvido nos púlpitos a seguinte frase: “Não existe pecadinho e pecadão”. Que logo em seguida veio de uma explicação dizendo que todos os pecados são iguais aos olhos de Deus. Será mesmo que esse ensinamento é correto? Será que o pecado que um aluno que cola numa prova comete poderia ter o mesmo peso daquele que rouba milhões?

 

Aliás, com frequência vejo muitos argumentarem que todos os pecados são iguais para diminuírem o que fizeram de errado e que não merecem tal julgamento porque todo mundo peca.

 

Então nada melhor do que conferir nas Escrituras Sagradas se existe pecados menores e maiores.

 

O que Deus pensa sobre pecado?

 

Primeiramente gostaria de pontuar que qualquer pecado é uma ofensa à santidade de Deus e claramente uma desobediência à Sua Palavra. Com isso, o pecado nos traz consequências que é a separação de Deus (Is 59.2) e a morte (Rm 6.23). Independentemente de qual seja o pecado cometido, todos levam o ser humano à condenação e desagradam a Deus.

 

No entanto, Deus enviou o Seu único Filho Jesus para levar sobre si o castigo dos nossos pecados (Jo 3.16). Portanto, todos aqueles que creem em Jesus como seu Salvador têm seus pecados perdoados e podem levar uma nova vida agradando ao seu Senhor. Mas isso não quer dizer que o cristão deve continuar pecando para que Deus mostre cada vez mais Sua graça; afinal aquele que crê em Cristo já morreu para o pecado e não pode continuar vivendo nele (Rm 6.1,2).

 

Lembre-se: Deus é perfeito e não tolera o pecado!

 

O que a Bíblia diz sobre “pecadinho” e “pecadão”?

 

Agora que pontuamos essa questão, antecipo em dizer que a Bíblia SIM ensina que há “pecadinho” e pecadão”. No Antigo Testamento existe claramente graus diferentes de pecados. Por exemplo, quando Abraão mente para Abimeleque e este descobre, questiona o pai das multidões, falando sobre “a culpa de um pecado tão grande” (Gn 20.9).

 

Da mesma maneira acontece quando Moisés profere palavra aos israelitas após o episódio do bezerro de outro: “vocês cometeram um grande pecado” (Ex 32.30). E quando os filhos do profeta Eli tratavam com desprezo as ofertas à Deus, sabe o que a Bíblia diz? “O pecado desses jovens era muito grande à vista do Senhor” (1 Sm 2.17).

 

Há também mais relatos de pecados com tamanhos, como quando os israelitas escolheram Jeroboão como rei, porque ele induziu a nação a deixar de seguir a Deus e os levaram a “cometer grande pecado” (2 Rs 17.21) ou quando Davi fez uma oração ao Senhor dizendo: “perdoa o meu pecado, que é tão grande!” (Sl 25.11). Ou até mesmo quando o próprio Deus diz que “o pecado da filha do meu povo é maior que o de Sodoma” (Lm 4.6).

 

Mas não fica apenas por aí, pois o Novo Testamento também discorre acerca da gradação de pecados:

 

“Jesus respondeu: ‘Não terias nenhuma autoridade sobre mim se esta não te fosse dada de cima. Por isso, aquele que me entregou a ti é culpado de um pecado maior’.”

(João 19.11)

 

O que esse versículo quer dizer é que o pecado de quem entregou Jesus para as autoridades é maior que o pecado de um julgamento injusto feito por Pilatos.

 

O pecado tem tamanho sim!

 

Como vimos anteriormente, algumas passagens bíblicas relatam sobre o tamanho dos pecados. Por esta razão, quero continuar a refletir com vocês acerca de outros versículos que reforçam a ideia de que há sim “pecadinho” e “pecadão”.

 

O Novo Testamento traz mandamentos com tamanhos diferentes. Um exemplo claro disso é quando Jesus relata sobre os “mandamentos mais importantes da Lei” (Mt 23.23). Em seguida, Ele declara que os fariseus estão coando um mosquito e engolindo um camelo (Mt 23.24). Essa expressão significa que eles estavam peneirando os pecados pequenos enquanto passavam pano para os pecados maiores. As figuras mosquito e camelo representam respectivamente, pecados menores e pecados maiores.

 

E outro exemplo fácil é sobre a famosa passagem onde Jesus fez dos dois mandamentos mais importantes (Mt 22.36-40; Mc 12.28-31) e a passagem onde Cristo diz que “quem desobedecer até ao menor mandamento, e ensinar outros a fazer o mesmo, será considerado o menor no reino dos céus” (Mt 5.19).

 

Ou seja, apresentar mandamentos com tamanhos significa que a transgressão deles também terão. Pois as transgressões de um mandamento maior serão maiores do que as transgressões de um mandamento menor.

 

A Bíblia também diz que há pecados piores do que os outros quando faz diferenciação de pecados que são para morte e pecados que não são para a morte (1 Jo 5.16,17). Além disso, há pecado que não tem perdão: a blasfêmia contra o Espírito Santo (Mt 12.31).

 

Sendo assim, pecados diferentes terão consequência diferentes. E sobre essa questão, a Bíblia cita um provérbio bem interessante o qual diferencia o roubo de um ladrão que o fez para saciar a fome (Pv 6.30). Isto é, apesar de haver crime nesse tipo de roubo, as consequências serão menos graves do que alguém que rouba para aumentar suas riquezas de maneira ilícita.

 

Conclusão

 

Portanto, quando a Bíblia menciona sobre grande pecado, consequentemente teremos pecados menores. Logo, o ensino muito comum propagado em nossas igrejas de que não existe “pecadinho” e “pecadão” não é bíblico.

 

Assim é necessário dizer que a existência da gradação de pecados não anula o fato de todos os pecados serem odiosos aos olhos de Deus. E que mesmo o menor dos pecados, nos afasta da santidade. Por isso, devemos combater todos os pecados, porque todos eles são condenáveis por Deus.

 

 

Por fim, se ainda houver dúvidas sobre esse assunto ou qualquer outro, é só deixar seu comentário aqui. E não se esqueça de nos seguir no Instagram @GarotasfasdeCristo e no Twitter @_GFDC. Mil Beijinhos...

 

Meu e-mail: abileneleite96@gmail.com

Um comentário

  1. Excelente análise. Tudo perfeito e de acordo com as Escrituras Sagradas!

    ResponderExcluir

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!