Afinal, eu devo subir ao monte para orar ou não?


Alguns cristãos têm a prática de subir ao monte como forma de estarem mais perto de Deus. Aliás, dizem que não podem ir de qualquer maneira e precisa ter todo um preparo para este dia. Já outros, não são a favor da reunião de oração no monte. Dizem que não há necessidade de fazer tal coisa, pois afirmam que não é uma prática imposta pela Bíblia. E vão além disso, falam que há uma distorção de textos bíblicos. Mas afinal, quem será que está certo nesta história?

 

“Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração a Deus.”

(Lucas 6.12)

 

O versículo acima está falando de Jesus. E de modo frequente, àqueles que são a favor de subir ao monte utilizam essa passagem para afirmar o quão certo eles estão. No entanto, para não tirar conclusões precipitadas, precisamos avaliar o motivo pelo qual Cristo ia ao monte.

 

Por que Jesus subia ao monte?

 

Jesus Cristo tinha o costume de subir o monte (Mt 14.23; Mc 6.46; Lc 6.12). Isso porque Ele estava sempre rodeado por pessoas e não conseguia ter um momento a sós com o Pai. E geralmente Jesus fazia isso sozinho e não cercado de um grupo como vemos nos dias de hoje.

 

Certa vez, Cristo recomendou que quando orarmos deveríamos fechar a porta do nosso quarto (Mt 6.5,6). Então por que Ele mesmo não fazia isso ao invés de subir ao monte? Jesus ia ao monte porque não tinha um quarto que pudesse chamar de seu, para lá dentro orar trancado. E podemos comprovar com o texto:

 

“Mas Jesus respondeu: As raposas têm tocas e os passarinhos têm ninhos, porém, o Filho do Homem não tem um lugar para repousar a sua cabeça.”

(Mateus 8.20)

 

E também há um outro motivo: Jesus não era bem-vindo nas sinagogas. Portanto, como Ele não podia orar no templo e não tinha um quarto, a Sua opção foi se isolar no monte para estar mais íntimo com o Pai.

 

Oração no monte tem mais poder?

 

Criou-se uma crença entre nossos irmãos de que a oração no monte tem mais poder. De acordo com alguns, é no monte que o Senhor nos ouve melhor. Pois há uma grande manifestação de Seu poder ali. E por ser um lugar “santo” para se falar com Deus, deve existir um ritual antes de se subir no local, como o jejum.

 

Já ouvi dizer que para subir ao monte, a pessoa “não pode estar em pecado”. Sendo que isto é impossível, pois estamos em um processo de santificação. E o único que não teve pecado algum foi Cristo (1 Pe 2.22). Mas, as pessoas associam “não estar em pecado” como não estar em adultério, não roubar e não falar mal do pastor.

 

Outro fator que contribui para a crença de que a oração no monte é mais poderosa se dá pelo fato de que alguns montes na Bíblia foram lugares onde Deus manifestou Sua glória. No entanto, os montes nunca tiveram um poder especial no cenário bíblico. Até porque montes também eram lugares para rituais idólatras, onde as pessoas adoravam deuses falsos (Dt 12.12).

 

Ou seja, a Bíblia não ensina que determinados lugares concedem mais poder a oração. E nem que subir ao monte vai lhe dá mais “crédito” com Deus. Portanto, a oração no monte não é mais poderosa que a oração feita em seu quarto.

 

E os gravetos que pegam fogo?

 

Mesmo assim, muitos podem ainda insistir dizendo: “O poder é tão grande no monte, que os gravetos pegam fogo!”. Quanto ao fato dos gravetos e folhas incandescentes não há nada de sobrenatural ali. Na verdade, o que acontece são processos naturais de decomposição da madeira no qual os fungos fazem seu trabalho no material e, desse modo, brilham na escuridão.

 

O solo é carregado de fósforo – um elemento químico – que junto com o suor humano produzem esse fenômeno. Então, quanto mais tempo um grupo de pessoas fica no monte, mais suor gera e efeitos químicos vão se somando a fim de provocar o efeito luminoso em materiais orgânicos.

 

Diante disso, quem entrar em qualquer mata fechada e ficar por lá por um bom tempo e se houver umidade, os fungos brilharão assim que a sua pupila se acostumar. Da mesma forma, quem pegar um dos gravetos levando-o para a casa e ele ficar um bom tempo em um ambiente escuro, brilhará sempre que houver umidade, até a pupila relaxar.

 

Ou seja, os gravetos que “pegam fogo” são fenômenos naturais e não uma manifestação divina sobrenatural.

 

O cristão deve orar no monte ou não?

 

Embora muitas igrejas ensinam que o ato de subir em montes seja um sacrifício para que Deus atenda sua oração, isto não é verdade. Pois o único sacrifício perfeito e aceitável por Deus é aquele que foi feito na cruz do Calvário. E você deve ter isso em mente!

 

Algo a se considerar também é que alguns se acham mais santos que os outros por subirem ao monte de modo frequente. Mas quanto aqueles que estão em cadeira de rodas? Eles são menos espirituais por não poderem subir ao monte? Claro que não! No entanto, muitos se julgam superiores por causa dessa situação. E este é o problema: a acepção de pessoas que se cria no meio da igreja (Tg 2.1).

 

Além disso, existem muitos perigos que a oração no monte pode trazer. Há relatos de pessoas que foram vítimas de assalto, roubo e até mesmo estupro. E ainda há o perigo de ataques de animais que estão no meio da vegetação. Fora o fato de casais de namorados se afastarem do grupo para fazerem algo que não tem nada a ver com oração.

 

E assim como a igreja atual, a mulher samaritana julgava que o local mais adequado para adoração era no monte (Jo 4.19). Mas Jesus deixou bem claro que não era desse jeito!

 

Por fim, a Bíblia não obriga ninguém a subir ao monte para orar... E independente de ser no monte, na igreja, na rua, no quarto ou qualquer outro lugar, o importante é orar buscando ao Senhor e encontrar tempo para conversar com Ele. Lembrando-se de não pôr em risco a sua segurança e de seu próximo. Agora, a história dos gravetos que pegam fogo não passa de puro misticismo!

 

 

E você, o que pensa sobre o cristão subir ao monte? Deixe seu comentário e enriqueça esse debate!

 

 

Meu e-mail: abileleite96@gmail.com

 

Meu Facebook | Meu Instagram | Meu Twitter

Nenhum comentário

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!