12 Fatos que a Bíblia descobriu antes da Ciência

 

Você sabia que muito do que a ciência descobriu já estava escrito na Bíblia? Ou seja, as Escrituras Sagradas já faziam menção a alguns conhecimentos que, mais tarde, especialistas provaram em laboratório. E mesmo que ao longo dos anos alguns cientistas tentaram colocar em dúvida a verdade escrita na Bíblia; hoje a ciência vem apresentando provas e admitindo a exatidão que a Bíblia traz às suas descobertas. Por isso fiz uma seleção de 12 fatos que a ciência descobriu de modo tardio, mas que se tivessem dado créditos no que a Palavra de Deus diz, estudando com sabedoria a Bíblia, teriam descoberto mais cedo.

 


“Dono de toda ciência, sabedoria e poder; oh dá-me de beber, da água da fonte da vida...”


 

A Terra Esférica

 

“Ele é o que está assentado sobre o globo da terra.”

(Isaías 40.22a)

 

O profeta Isaías já se referia ao nosso planeta como um globo em 700 a.C. enquanto muitos pensavam que a Terra tinha um formato achatado. Mas a ciência só comprovou o que já estava escrito na Bíblia apenas em 1522 quando Fernão de Magalhães fez a primeira viagem de circum navegação. Ou seja, navegou ao redor da Terra.

 

O Ciclo da Água

 

“Deus faz a água subir da terra em forma de vapor que se transforma em chuva, que as nuvens despejam em grande quantidade sobre o homem e a terra.”

(Jó 36.27,28)

 

A descrição do escritor de Jó para o ciclo da água é perfeita! Claro que o relato não parece ser uma novidade para quem lê os livros da escola. No entanto, nem sempre foi assim. Pois a ideia de um ciclo completo da água só foi compreendida pelos cientistas no século XVII. Mas antes da grande “descoberta” de Pierre Perrault, Edme Mariotte, Edmund Halley, e outros; a Bíblia mencionava de modo claro o que muitos não conseguiam entender.

 

As Correntes Marítimas

 

“As aves do céu, os peixes do mare tudo o que percorre as veredas dos mares.”

(Salmo 8.8)

 

As Escrituras já mencionavam os fluxos dos oceanos muitos anos antes da ciência. Para que você tenha uma ideia, o pesquisador Matthew Maury investigou sobre “as veredas dos mares” e descobriu que os oceanos têm caminhos que fluem através deles. Então conseguiu melhorar os conhecimentos de navegação e duração de viagens no mar por meio do aproveitamento do fluxo. Mas o que você ainda não sabe, é que essa “descoberta” das correntes marítimas se deu em 1847 d.C.

 

O Ar tem peso

 

“Determina a força dos ventos e o volume das águas.”

(Jó 28.25)

 

Em 1450 a.C., o escritor de Jó já dizia que o ar tinha um peso. Embora a atmosfera seja invisível, ela tem peso e massa. Mas o instrumento usado para medir o “peso do ar” só foi criado em 1643 d.C. por Torricelli. E assim hoje podemos medir a pressão atmosférica pelo barômetro.

 

As Correntes do Ar

 

“O vento sopra para o sul, depois para o norte; dá voltas e mais voltas, soprando em círculos.”

(Eclesiastes 1.6)

 

A Bíblia descreve um “ciclo” de correntes do ar em 930 a.C.; mais um fato que descobriu antes da ciência. Já que o vento apresenta alguns fenômenos. Por exemplo: o ar ao redor da Terra gira em gigantescos círculos, no sentido horário em um hemisfério e no sentido anti-horário no outro hemisfério. Mas isso é uma “descoberta” recente pela ciência que Salomão já tinha conhecimento.

 

Os Pontos Cardeais

 

“Trarei inimigos de todos os lados e espalharei os habitantes de Elão aos quatro ventos; serão exilados em nações do mundo inteiro.”

(Jeremias 49.36)

 

Nesta e várias outras passagens bíblicas faz menção dos “quatro ventos”. Essa é uma expressão que indica uma compreensão dos pontos cardeais. Ou seja: norte, sul, leste, oeste. Mas foi somente no século XIV que os mapas de navegação começaram a usar essas direções de forma mais sistemática.

 

A matéria é feita de partículas

 

“Pela fé, entendemos que todo o universo foi formado pela palavra de Deus; assim, o que se vê originou-se daquilo que não se vê.”

(Hebreus 11.3)

 

De modo claro, a Bíblia diz que a matéria tem componentes invisíveis ao olho humano, conhecimento que só foi descoberto no século XIX. Ou seja, a ciência descobriu que tudo o que nós vemos (matéria) é composto de coisas que não conseguimos ver, como moléculas, átomos e outras partículas impossíveis de ver a olho nu.

 

Magma no interior da Terra

 

“A terra, da qual vem o alimento, é revolvida embaixo como que pelo fogo.”

(Jó 28.5)

 

Esse versículo nos mostra que embaixo de nosso planeta há algo composto como que pelo fogo. O que nos surpreende com tamanho conhecimento! Pois hoje, em qualquer livro didático há desenhos sobre o núcleo incandescente da Terra formado por magma.

 

A Terra flutua livremente pelo espaço

 

“Ele estende os céus do norte sobre o espaço vazio e faz a terra flutuar sobre o nada.”

(Jó 26.7)

 

Em um tempo que se acreditava em conceitos bizarros de que a Terra estava situada em cima de um animal gigante (1500 a.C.); a Bíblia já apontava a posição da Terra no espaço. Isto é, o planeta não estava apoiado em nada. Mas a ciência não descobriu que a Terra não era sustentada por nada até 1650 d.C. E hoje sabemos que esse é o pensamento certo, já que a Terra está livre no espaço.

 

Cada estrela é única

 

“O sol tem uma espécie de esplendor, enquanto a lua e as estrelas têm outra espécie. E as estrelas diferem umas das outras em sua beleza e seu brilho.”

(1 Coríntios 15.41)

 

Muito tempo antes da criação do telescópio e o entendimento sobre as estrelas e outros astros no espaço, a Bíblia já falava que existia uma diferença entre cada uma das estrelas. Assim sendo, muito tempo depois da Bíblia, estudos mostraram que todas as estrelas são diferentes em termos de massa e composição química.

 

O número de estrelas é incontável

 

“Como não se pode contar as estrelas no céu nem medir a areia na beira do mar, assim também tornarei incontáveis os descendentes de meu servo Davi e os levitas que me servem.”

(Jeremias 33.22)

 

O profeta Jeremias em 610 a.C. já dizia que não dá para contar o número de estrelas que existem, e nem mesmo a areia do mar. O que parece meio óbvio. Mas antes de surgir o telescópio, os cientistas da época achavam que sabiam o número exato de estrelas no Universo. Para Ptolomeu, existia 1056 estrelas enquanto Kleper, mais tarde, contou 1005 delas. Hoje, os astrônomos admitem que não é possível contar as estrelas. Até porque só em nossa própria galáxia são mais de 100 bilhões delas.

 

O ser humano é feito de barro

 

“Então o Senhor Deus formou o corpo humano do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego da vida, e ele tornou-se um ser vivo.”

(Gênesis 2.7)

 

A Bíblia afirma que Deus criou o ser humano do barro e que nós voltamos a ser pó depois que morremos. E há pouco tempo atrás, os cientistas descobriram ao analisar a composição química do corpo do ser humano e do pó da terra, que há elementos comuns entre os dois. E uma pesquisa publicada na revista Science em 2003 sugeriu que a vida na Terra pode ter surgido do barro.

 

 

 

Por fim, o que achou de conhecer algumas informações que a ciência confirmou e que já estavam descritas na Bíblia? Existe algo que deixei de mencionar? Deixe seu comentário!

 

Meu Facebook | Meu Instagram | Meu Twitter

 

Meu e-mail: abileneliete96@gmail.com

Nenhum comentário

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!