Garotas fãs de Cristo: Deus escolheu pessoas para o céu e outras para o inferno?

Deus escolheu pessoas para o céu e outras para o inferno?



É tão comum ouvirmos os pregadores dizerem que Deus nos escolheu para fazermos a obra dEle e isso faz com que sintamos muito especiais. Lemos nas páginas da Bíblia muitas pessoas que foram escolhidas por Deus para cumprir o Seu propósito. Mas... o que de fato é essa escolha? Será que o Senhor escolhe pessoas para a salvação e outras para a perdição?

“Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça, a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome.”
(João 15.16)

Para início de conversa precisamos lembrar que Deus é soberano sobre todas as coisas e tudo pertence a Ele. O Senhor faz o que lhe aprouver e não cabe a nós, meras criaturas discutimos as decisões dEle.

As Escrituras Sagradas são claras em afirmar que Deus escolhe a quem deseja salvar e a quem é fardado à perdição?

■ Os nomes dos salvos já estão escritos antes da fundação do mundo. Isto implica que antes da fundação do mundo, Deus elegeu uns para a salvação e outros para a perdição:

“Todos os que vivem na terra o adorarão, menos aqueles que, desde antes da criação do mundo, têm o nome escrito no Livro da Vida, o qual pertence ao Cordeiro, que foi morto.” (Apocalipse 13.8)

■ Na oração sacerdotal de Jesus, Ele roga apenas pelos escolhidos:

“Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus.” (João 17.9)

■ Os gentios creram, pois já tinham sido destinados para salvação quando Paulo e Barnabé falavam ousadamente:

“Os gentios, ouvindo isto, alegravam-se e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos haviam sido destinados para a vida eterna.” (Atos 13.48)

■ Judas Iscariotes era alguém destinado para perdição. Isso implica a predestinação dupla:

“Enquanto estava com eles, eu os protegi e os guardei pelo nome que me deste. Nenhum deles se perdeu, a não ser aquele que estava destinado à perdição, para que se cumprisse a Escritura.” (João 17.12)

■ Deus escolheu os Seus por amor:

“Mas a misericórdia de Deus é muito grande, e o seu amor por nós é tanto, que, quando estávamos espiritualmente mortos por causa da nossa desobediência, ele nos trouxe para a vida que temos em união com Cristo. Pela graça de Deus vocês são salvos.” (Efésios 2.4,5)

■ Deus escolheu o Seu povo antes da criação do mundo:

“Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença. Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade, para o louvor da sua gloriosa graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado.” (Efésios 1.4-6)

■ Deus tem misericórdia de quem Ele deseja:

“Como está escrito: ‘Amei Jacó, mas rejeitei Esaú’. E então, que diremos? Acaso Deus é injusto? De maneira nenhuma! Pois ele diz a Moisés: ‘Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão’.” (Romanos 9.13-15)

■ O oleiro que é Deus, fez vasos para honra (para a salvação) e para desonra (para a perdição):

“Mas algum de vocês me dirá: ‘Então, por que Deus ainda nos culpa? Pois, quem resiste à sua vontade?’ Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: ‘Por que me fizeste assim?’. O oleiro não tem direito de fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso?” (Romanos 9.19-21)

■ O Senhor tem o direito de escolher pessoas para o céu e outras para o inferno:

“Deus não tem perfeitamente o direito de mostrar o seu furor e o seu poder contra aqueles que só servem para a destruição, aqueles com quem Ele tem sido paciente todo este tempo? E Ele também tem o direito de tomar outros, tais como nós mesmos, que fomos feitos para que Ele derramasse a sua glória em nós, quer sejamos judeus ou gentios, e mostrar-Se benigno para conosco, de tal maneira que todos possam ver quão grandiosa é sua glória.” (Romanos 9.22-24)

Conclusão: A consequência da escolha que Deus fez antes da fundação do mundo é que sendo alguém salvo, o outro automaticamente estaria fardado à perdição eterna. Mas não confunda isso com fatalismo! Sua eleição para com os que são dEle não foi baseado em nosso mérito (Rm 9.16). Verdadeiramente, as razões de Sua escolha são tão misteriosas quanto Ele é misterioso; mas podemos observar ao longo desta postagem que a eleição foi feita por amor e é anterior à nossa fé em Cristo Jesus. 

Se a predestinação é verdadeira, então não há necessidade de pregar?

Há algumas pessoas que erroneamente pensam que predestinação é sinônimo de não pregar o Evangelho para toda a criatura, mas não é assim. Além de ser uma ordem direta de Cristo (Mc 16.15); nós não sabemos quem são os eleitos de Deus, por isso precisamos pregar a todos.

Por que condenar aqueles que Ele mesmo deseja salvar (1 Timóteo 2.4; 2 Pedro 3.9)?

Em 1 Timóteo 2.3,4 está escrito: “Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador, que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade.”

Para entender esses versículos precisamos saber o contexto em que está inserido, e os versículos anteriores dizem que devemos realizar orações e intercessões por todos os homens, pelos reis e todas as autoridades; ou seja, pelo contexto podemos compreender que está se referindo a todas as classes de pessoas, e não em todas as pessoas sem exceção.

Em 2 Pedro 3.9 está escrito: “O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento.”

Para entender esse versículo, leia-o novamente e repare na palavra “vocês” que em outras traduções está escrito como “vós”. Perceberam? O versículo em questão está se referindo aos que já são cristãos.

A Bíblia diz que Deus não faz acepção de pessoas, então não seria injustiça?

Não! Deus não está sendo injusto. Quando na Bíblia diz que Deus não faz acepção de pessoas está dizendo a respeito que o Senhor não faz diferenças entre as classes sociais e nem raças. Ou seja, seja macho ou fêmea, pobre ou rico, negro ou branco; Deus não faz diferenças entre essas pessoas.


“Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou, também chamou; aos que chamou, também justificou; aos que justificou, também glorificou.”
(Romanos 8.29,30)

O que achou deste artigo? Foi esclarecedor? Tem alguma dúvida?
Deixe o seu comentário!
Meu e-mail: abileneleite96@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!