Garotas fãs de Cristo: O Cristão e o Halloween

O Cristão e o Halloween


O Halloween é comemorado no dia 31 de Outubro e é também chamado de dia das bruxas. No Brasil, esta celebração não é bastante significativa como se é em outros países; porém muitos colégios realizam festas e até mesmo algumas igrejas realizam festas do “hallelujah” tentando uma forma de “cristianizar” esta comemoração. Em razão disso, muitos cristãos ficam divididos em suas opiniões, pois há quem defenda que temos que nos afastar completamente dos elementos da festa e outros que defendem que não há problema algum em participar da festa se nos misturarmos para nos divertir e fazer um evangelismo criativo.

Por isso, este artigo tem a intenção de sanar estas dúvidas entre os cristãos, trazendo informações sobre como tudo isso começou e qual a posição que nós, como seguidores de Cristo, temos que ter sobre o Halloween.

A Origem da Palavra Halloween

Na verdade, a palavra Halloween vem da junção da frase “All Hallows Eve” que significa “vigília de todos os santos” e está ligada a comemoração do feriado católico do dia de todos os santos que é realizado no dia 1º de novembro. Portanto, o dia 31 de outubro é a celebração da vigília do feriado do dia seguinte.

Origem e Significado da Festa

Tudo começou com um povo chamado Celta que habitava na Irlanda, Inglaterra e França (tendo sua maior concentração na Irlanda) no século 5 a.C. Nesta época, eles comemoravam o ano novo no dia 31 de outubro – porque o verão se findava nesse dia – e esse feriado também era chamado de Samhain (sow-en) que quer dizer senhor da morte. Isso porque os celtas consideravam o dia seguinte como o dia da morte por causa das folhas das árvores que estavam caindo (a chegada do outono); acreditando que o deus sol estava perdendo suas forças por causa do senhor da morte.

Eles acreditavam também que no dia 31 de outubro, o senhor da morte ajuntava os espíritos de todas as pessoas que haviam morrido no ano anterior, já que segundo sua crença os espíritos tinham sido confinados a vagar entre a terra por causa de seus maus atos sem a menor chance de poder ir ao paraíso. E neste dia os espíritos teriam a permissão de voltar para as suas casas a fim de tentar possuir os corpos das pessoas que ainda viviam, pois essa era a única esperança para eles após a morte. Caso as pessoas não quisessem ser possuídas por espíritos maus, deveriam tomar precauções para se protegerem. Uma dessas precauções era se fantasiar para que os espíritos confundissem essas pessoas com outros espíritos. Outra precaução era deixar comida e doces na parte de fora de suas casas, para manter esses espíritos contentes e afastar os maus espíritos.

Por causa da escassez de batatas, nos anos de 1845 e 1846, muitos irlandeses imigraram para Nova Iorque e esse feriado foi trazido para os Estados Unidos, se espalhando pouco a pouco contendo algumas mudanças.

O feriado também é conhecido como o dia das bruxas, porque segundo a lenda, elas se reuniam durante a mudança das estações duas vezes no ano (no dia 30 de abril e 31 de outubro). Elas participavam de uma festividade onde o anfitrião era o Diabo, e jogavam maldições e feitiços nas pessoas; chegando à festa usando vassouras.

Os elementos simbólicos

Na realização das festas de Halloween são utilizados vários elementos simbólicos, cada um com seu significado.

Abóbora iluminada. Diz a lenda que o hábito de cortar a abóbora e colocar uma vela acesa dentro surgiu através da história de Jack, que gostava muito de beber e se encontrou com o Diabo após um dia que bebeu demais. Como era um homem esperto, aprisionou o Diabo em vários locais até que um dia de tanto beber, acabou morrendo. Por esta razão, ele não podia entrar no céu e nem no inferno. Como resultado, a alma de Jack passou a vagar pelo mundo; e ele utilizava nabos iluminados para fugir da escuridão e iluminar o seu caminho. Mas quando os irlandeses chegaram aos Estados Unidos, perceberam que as abóboras eram mais abundantes, e então passaram a usá-las no lugar dos nabos. Logo, as abóboras significam fertilidade e as velas servem para iluminar o caminho dos espíritos. E as abóboras iluminadas são chamadas também de “Jack-O Lanterns”.

Doces ou Travessuras? Diz a lenda que esta tradição surgiu na Irlanda quando um homem que conduzia uma procissão para arrecadar oferendas de agricultores com a finalidade de que suas colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios, fez uma espécie de chantagem dizendo “trick or treat”, ou seja, “doces ou travessuras”. Vale lembrar que na cultura celta é necessário deixar comida para apaziguar os espíritos malignos.

Bruxas. Como foi dito mais acima, as bruxas participavam das festas que invocavam o Diabo.

Gato preto. Segundo a crença dos Druidas, os gatos eram sagrados e haviam sido pessoas castigadas por alguma má ação. Acredita-se também que as bruxas conseguem se transformar em gatos.

Vassoura. É um símbolo do poder feminino que tem o poder de limpar tudo aquilo que traz consequências negativas para a vida.

Cores. Preto: representa as trevas. Laranja: representa vitalidade e energia. Roxo: representa a magia.

O Cristão e o Halloween

Alguns cristãos dizem que não há mal algum em participar da festa de Halloween já que não estão festejando pensando em demônios e sim apenas para se divertir e pedir doces. Uma vez, o cantor mexicano gospel Jesús Adrian Romero publicou sua opinião a cerca deste assunto, dizendo: “Não sejam como os cristãos que no dia de Halloween fecham suas portas e se tornam irrelevantes. Temos uma excelente oportunidade de sorrir, cumprimentar e interagirmos com nossos vizinhos.”. No entanto, discordo desse tipo de pensamento que diz que não tem nada a ver.

Com tudo o que você leu até aqui, dá para perceber que a festa de Halloween é associada ao culto aos demônios e práticas contrárias à vontade de Deus. E embora muitas pessoas participem desta comemoração de maneira inocente sem o objetivo de adorar ao Diabo, indiretamente estão fazendo isso, porque Cristo diz “quem não é por mim é contra mim.” (Mt 12.30).

Por que não devemos cultuar a morte? Porque o Senhor diz que “todos os que me odeiam amam a morte” (Pv 8.36b).

Por que não devemos nos comunicar com os mortos e nem recorrer à prática de bruxaria e feitiçaria? Pois está escrito na Palavra de Deus: “Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou dedique-se à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria ou faça encantamentos; que seja médium ou espírita ou que consulte os mortos. O Senhor têm repugnância por quem pratica essas coisas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, o seu Deus, vai expulsar aquelas nações da presença de vocês.” (Deuteronômio 18.10-12).

Ao apoiarmos ou ignorarmos o sentido desta comemoração, estamos sendo omissos e deixando que Satanás lance suas artimanhas neste mundo. Precisamos trazer luz para as trevas, e não o contrário; e fazemos isso não sendo conivente, ou seja, dizendo não para a participação na festa e nem aceitando os elementos simbólicos em nossa vida e em nosso lar.

As Escrituras Sagradas dizem:

“Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor. Vivam como filhos da luz. Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz. Porque aquilo que eles fazem em oculto, até mencionar é vergonhoso.” (Efésios 5.8,11,12)

Aqueles que acham que podem participar da comemoração para estabelecer relações amigáveis com os vizinhos e se divertirem; e até mesmo com desculpa de que irão evangelizar, devem lembrar que a Bíblia fala: “Ai dos que chamam ao mal bem e ao bem, mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo, doce e do doce, amargo.” (Is 5.20). E aqueles que tentam “cristianizar” uma comemoração demoníaca, fazendo um Halloween gospel, estão zombando de Deus e debochando da fé cristã.

O Diabo tem usado artimanhas para maquiar algumas coisas. Uma delas é fazer com que os cristãos pensem que o Halloween é algo inofensivo, por exemplo, trocando a feição de bruxas feias por uma imagem de uma bruxa bonita e boazinha. E por mais que esta festa pareça ser inofensiva, é uma verdadeira brecha para nossas vidas. Até porque Satanás e seus anjos finjam ser anjos de luz para enganar a muitos (2 Co 11.14,15).

É importante lembrar que o dia 31 de Outubro é uma data especial para nós protestantes, pois é data que se comemora o Dia da Reforma, isto é, o dia em que Martinho Lutero publicou as suas 95 teses, em 1517. Então como cristãos precisamos comemorar o Dia da Reforma Protestante e não uma festa pagã e demoníaca como o Halloween.

Como cristãos, devemos guerrear e combater as hostes espirituais malignas; sendo radicais e buscando mais do poder de Deus!

“Pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.” (Ef 6.12).

E o que você achou desta postagem? Concorda ou Discorda? Deixe o seu comentário!
Meu e-mail: abileneleite96@gmail.com

2 comentários:

  1. Eu nunca gostei de participar na escola porque são tantas referências desconhecidas que acho melhor me abster do que pecar por ignorância.
    Voltei com o blog e estou com postagens diárias este mês; se puder, passe por lá.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Nana, a gente desconhece a origem de tantas festas que é melhor se abster por não conhecer (e procurar a origem e o conhecimento) do que participar de uma festa que não é de Deus.

      "Meu povo perece por falta de conhecimento." (Oséias 4.6a)

      Que ótimo saber que você voltou com o blog, vou também dar uma passada por lá para conferir as postagens! Fique na paz de Cristo.

      Excluir

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!