Garotas fãs de Cristo: Submissa, eu?

Submissa, eu?


Não tem como falar de relacionamento amoroso sem falar de submissão, não tem como fugir desse assunto. Esse é um tema crucial que até pode determinar o sucesso ou fracasso de seu relacionamento, e isso não é exagero meu.

Submissão não é se colocar em posição de inferioridade; não é ser capacho do seu marido; e nem muito menos aceitar quaisquer desejos e/ou pedidos de seu esposo que contrariam os seus valores de fé. Isso significa que não é nada daquilo que as feministas andam falando por aí, pois o homem não deve forçar a sua mulher a fazer isso por ele. Então qual é o seu real significado?


Submissão origina-se da palavra grega “hupotasso” que é formado por duas palavras: “hupo” que significa “sob” e “tasso” que é “organizar, colocar em ordem”. Logo submissão é estar debaixo de uma liderança de alguém que organiza. Isso significa que o bom andamento do relacionamento se deve ao cumprimento do papel de cada um. Lembre-se: Quem não é submissa ao seu marido, enfrentará muitos problemas no casamento!

Observe o que a Bíblia diz:

“As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor.” (Efésios 5.22)

Em outras palavras: Assim como você tendo as suas próprias vontades prefere renunciar as suas para fazer a vontade de Deus que é boa, agradável e perfeita para você (Rm 12.2), assim você deve fazer para com o seu esposo, pois ele é o “cabeça” de seu lar (Ef 5.23), e as decisões dele vão ser boas, agradáveis e perfeitas para você.

Entenda: Ser submissa não é ser escrava e nem subjugada, pois é algo voluntário de sua parte. Para que você compreenda melhor, a própria Bíblia compara a submissão da igreja perante a Cristo com a submissão da mulher com o marido. Quando fazemos algo para Deus é por amor e pela alegria que sentimos quando sabemos que estamos agradando ao Senhor. Sentimo-nos protegidas quando estamos com Deus, confiamos nEle e fazemos de tudo para agradá-lO. Sabemos que Cristo é o nosso líder e o nosso maior exemplo. Da mesma forma acontece dentro do casamento.

O papel da esposa: Ela deve se submeter à liderança do marido dentro do lar, sendo sua auxiliadora e cooperando com a missão dele para a edificação de ambos. “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.” (Gn 2.18)

O papel do esposo: Ele é o líder do lar, e tem o dever de protegê-la, ser o sustentador, aconselhador, amável e respeitoso. “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” (Efésios 5.25)

Com tudo o que lhe foi explicado aqui, hoje você pode compreender o motivo pelo qual nós como cristãs precisamos de um marido que compartilhe da nossa mesma fé. Pois nós nos sentimos na obrigação de sermos submissas quando nosso esposo nos ama como Cristo amou a Sua Igreja e se entregou por ela. Quando ele cumpre o seu papel de esposo, ela sente mais vontade ainda de cumprir o seu papel de esposa.

“Estas mulheres mais idosas devem instruir as mulheres mais jovens a viverem sossegadamente, a amarem o marido e os filhos e a serem sensatas e ter a mente pura, gastando o tempo em seus próprios lares, sendo bondosas e obedientes ao marido, de maneira tal que a fé cristã não possa ser criticada por aqueles que as conhecem.” (Tito 2.4,5)

Na prática...

♥ Você não deve agir como se estivesse solteira e fazer o que lhe vier na sua mente, sem antes consultar ao seu marido. Todas as decisões devem ser tomadas juntamente com ele; e em caso de conflito, a última palavra deve ser a dele.

♥ Nunca passe por cima da autoridade dele. Como foi dito no item acima, se vocês tomaram uma decisão juntos, então não deve fazer o contrário do que foi decidido.

♥ Ande em conjunto com ele, ou seja, esteja ao lado dele auxiliando em tudo, principalmente no chamado dele.

♥ Respeite-o, mesmo que ele às vezes pise na bola contigo. Afinal, você também não é perfeita.

Antes de terminar preciso dizer mais algumas coisinhas...

Se o marido pede algo que é claramente contrário à Palavra de Deus, então a esposa tem a obrigação de desobedecê-lo, porque existe uma ordem mais alta. “Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens.” (At 5.29).

Se o marido não merece respeito aos seus olhos, por exemplo, se ele é mentiroso e/ou tem vícios, lembre-se que a submissão não tem a ver com os méritos do marido, tem a ver os méritos de Cristo, pois esta é uma ordenança dEle.

Se o marido é descrente, ainda sim deve respeitá-lo e seguir a sua liderança. “Do mesmo modo, mulheres, sujeitem-se a seus maridos, a fim de que, se alguns deles não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavras, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês.” (1 Pe 3.1,2)

Se o marido fica a pressionando a ser submissa, primeiramente ore por ele e avalie a si mesma se ele está com razão, isto é, se você não tem cumprido o seu papel como esposa e procure ser a mulher virtuosa que cumpre o seu papel. Após isso, é bom sentar e conversar com ele, com a Bíblia na mão levando-o a compreender que a submissão não é por pressão. Caso queira, leia este artigo juntamente com ele.

Se o marido não lidera, ou seja, ele é ausente e sempre diz “você decide”, ore ao Senhor para que ele comece assumir as suas responsabilidades como líder. Pois exigir mudança não é legal, e não funciona, até porque ninguém consegue mudar a outra pessoa; então a mudança tem que acontecer naturalmente por parte dele, e é claro, você deve ter atitudes corretas para que isso ocorra: Sempre recorra ao marido, mesmo que ele não queira decidir.

“Esposas, sede submissas ao próprio marido, como convém no Senhor. Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura.”
(Colossenses 3.18,19)

“Do mesmo modo vocês, maridos, sejam sábios no convívio com suas mulheres e tratem-nas com honra, como parte mais frágil e co-herdeiras do dom da graça da vida, de forma que não sejam interrompidas as suas orações.”
(1 Pedro 3.7)


Gostou da postagem? Tem alguma dúvida? Deixe um comentário!
Meu e-mail: abileneleite96@gmail.com

3 comentários:

  1. Que NOJO! Você não percebe como reproduzir esse tipo de fala resulta em consequências extremamente perigosas para as mulheres? "E em caso de conflito, a última palavra deve ser a dele." Eu tenho dó de você, que nojo dessa publicação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Natália, a submissão bíblica não produz nenhum tipo de perigo, nem para a mulher e nem para o homem; pois cada um tem que fazer o seu papel dentro do casamento. Submissão não é aceitar ser capacho e muito menos aceitar uma agressão!

      Excluir
  2. Não ligue para comentários raivosos. Você está certa! Que Deus continue lhe abençoando. Aliás, muito bom todos seus argumentos e embasamentos na Palavra de Deus.

    ResponderExcluir

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!