Garotas fãs de Cristo: Eu ainda não fui batizada com o Espírito Santo, tem alguma coisa errada comigo?

Eu ainda não fui batizada com o Espírito Santo, tem alguma coisa errada comigo?

Vejo a inquietação de algumas meninas quanto a isso, afinal, se você já é cristã por que ainda não fala em línguas estranhas? Será que Deus tem algum problema pessoal contigo?



Existem muitas igrejas atualmente que pressionam as pessoas para falarem em línguas estranhas, por que se uma pessoa quer ter cargo na igreja tem que ter esse dom, porque se uma pessoa se diz cristã obrigatoriamente tem que ter este revestimento. Será?!


Antes de tudo, preciso fazer uma ressalva: Todos nós cristãos já fomos batizados no Espírito Santo. Esse batismo com o Espírito Santo se dá quando confessamos Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas – no ato da conversão –, pois a partir daí que o Espírito Santo passa habitar na nossa vida (Rm 8.14-17). Falar que somos batizados com o Espírito Santo SÓ quando Ele nos reveste com o dom da variedade de línguas é um erro gravíssimo e que não tem embasamento bíblico. Por isso quando falamos sobre o dom de línguas estranhas ou dom de variedade de línguas não podemos usar o termo “batizado com o Espírito Santo”, que foi um erro que foi expandido por algumas igrejas. Outra ressalva importante: Essa postagem não é sobre o batismo nas águas.

A variedade de línguas é uma manifestação do Espírito Santo na vida do cristão, e ela é um dos dons disponibilizados ao cristão. A língua falada através deste dom não é aprendida – não existe curso ou passo a passo de como falar em línguas estranhas –, é um som que sai da boca e não pode ser entendida pelas pessoas (só se houver interpretação) e nem entendida por quem fala; pois em espírito fala mistérios que somente Deus é capaz de compreender (1 Co 14.2). Quando alguém é tomado pelo Espírito Santo e começa a falar em línguas, é o próprio Espírito que intercede a Deus por você com gemidos inexprimíveis de acordo com a vontade do Pai (Rm 8.26,27). Esta variedade de línguas é para edificação pessoal.

Há também a variedade de línguas para a edificação da igreja, mas esta só edifica a igreja se houver interpretação. A interpretação de línguas é outro dom dado pelo Senhor. A interpretação pode vir de quem deu a mensagem em línguas ou de outra pessoa em que ali estiver (1 Co 14.27). Sabe quando você vê alguém ministrando e tomado pelo Espírito começa a falar em línguas e depois de alguns instantes começa a falar “Assim diz o Senhor” e fala uma mensagem? Então, esta pessoa falou em línguas e também as interpretou para a edificação das pessoas.

Há vários casos de pessoas que foram revestidas do Espírito Santo em um lugar estrangeiro e começou a falar em línguas estranhas, e aquele povo que ali estava entendeu completamente a mensagem de Deus como se a pessoa tomada pelo Espírito estivesse falando no idioma do povo estrangeiro. Por exemplo, se eu for para Estados Unidos só que eu não sei falar nada em inglês, daí diante de pessoas dentro de uma igreja lá eu começar a falar em línguas estranhas, Deus pode perfeitamente fazer com que as pessoas que ali estão entendam a mensagem como se eu estivesse pregando em inglês. Neste caso, o Espírito age interpretando os seus mistérios.

Agora, a pressão que existe nas igrejas que você tem que ter este dom – como se ele fosse o maior de todos – de qualquer maneira, é um erro grave e que não deveria existir. Não é porque você não fala em línguas estranhas que você não é cristão e que não é cheio do Espírito Santo. Essa pressão não deveria existir, já que a própria Bíblia diz que nem todos têm este dom (1 Co 12.29,30).

O que tem se visto na igreja é que para exercer um cargo e ter um ministério é obrigatório ser “batizado no Espírito”. Lembro-me até de um caso que um determinado presbítero por não ter sido revestido com aquele dom e queria muito ter aquele cargo, começou a falar em línguas estranhas, porém, o que ele estava fazendo era uma farsa, ele só estava misturando a língua grega com hebraico (já que estava fazendo curso de Teologia e lá tem essas matérias). Só que quando o pastor viu, chamou a atenção do tal presbítero e a farsa foi desvendada. É o que o pastor como cursou teologia sabia que aquilo não era manifestação do Espírito e sim que o fulano estava falando em grego e hebraico.

E outra, as pessoas dão tanto valor para este dom que se esquecem da interpretação destes. Se na igreja não houver quem interprete (e se você não tem o dom de interpretação) é melhor que fique calado (1 Co 14.28), pois isso só vai trazer confusão entre os que ali estiverem (1 Co 14.1-25). Dom de línguas sem interpretação é para edificação pessoal.


Não estou desmerecendo o dom de línguas, pelo contrário, se alguém quem deseja tê-lo peça ao Senhor e peça também o dom de interpretação (1 Co 14.13). Seja perseverante e se coloque diante do Senhor com um coração quebrantado e humilde, buscando-O de todo o seu coração (Mt 6.33). Mas há uma coisa, Deus pode lhe dar 3 respostas: sim, não e espere. Se Ele disser “não” para você, não fique triste, a Palavra dEle mesmo fala quem nem todos vão ter esse dom. Mas por que Deus faz isso? Porque como Ele te conhece, sabe que lhe der este dom você irá abusar dele, isso vai “subir para cabeça”.

Para finalizar, deixo aqui um print de um tweet da pastora Sarah Sheeva como um incentivo a vocês. Neste dia ela estava usando o twitter para falar sobre o dom de línguas, e este é apenas um dos vários tweets que ela fez sobre o assunto:



Deixe um comentário!!!
Meu e-mail: abileneleite96@gmail.com

2 comentários:

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!