Garotas fãs de Cristo: Fala muito!

Fala muito!


Porque, como na multidão dos sonhos há vaidades, assim também nas muitas palavras; mas tu teme a Deus. - Eclesiastes 5:7



Já parou para pensar como a gente fala muito? Desde o primeiro “bom dia” que a gente dá quando acorda até o último “tchau” ou “boa noite”, são muitas conversas e palavras soltas que nem tem como contabilizar.

Muitas dessas palavras são ditas automaticamente sem que pensemos muito no que elas realmente significam para nós e para aqueles que nos rodeiam. Existe até um provérbio chinês que diz: "Há três coisas que jamais voltam: a flecha lançada, a palavra dita e a oportunidade perdida."

Quando algo sai da nossa boca, é como se dividíssemos com as pessoas o que guardamos dentro de nós. Mesmo que seja sem querer, na hora da empolgação ou por puro descuido. Tudo o que dissemos pode, e provavelmente vai, testemunhar contra ou a nosso favor.

Inclusive tudo o que dizemos a Deus, em nossas orações. Quem nunca fez uma promessa a Deus? Do tipo: “Senhor eu preciso taaanto disso! Me ajuda que eu vou mais aos cultos, lerei mais a Bíblia ou lavarei toda a louça da minha casa todos os dias!

E quando você fez a promessa, você a cumpriu? Nós sabemos que Deus é fiel e cumpre tudo o que nos promete, mas temos que saber também que Ele não se agrada de quem não cumpre o voto feito. (Eclesiastes 5:4)

Outro problema é querer fazer algo para Deus em troca de uma benção. O Senhor nos abençoa mesmo quando não fazemos nada em troca. Poxa, Ele é Pai! Quer o nosso bem, a nossa felicidade e conhece muito bem as nossas necessidades e o que é melhor para a gente. Da mesma forma, eu acredito que Deus prefira que façamos algo para Ele por amor e não porque queremos algo em troca.

Eu sei que quando a situação é tensa e precisamos muito de algo que não vem, podemos entrar no desespero e querer que Deus aja imediatamente e a qualquer custo. Aí, queremos fazer barganha com Ele e prometemos mundos e fundos que nem sempre iremos cumprir. Isso é muito perigoso. Mesmo sendo extremamente difícil manter a calma, devemos pensar por um tempo se realmente podemos cumprir as nossas promessas. Se não, para que fazê-las? Será que uma benção ou necessidade suprida é mais importante que a qualidade do nosso relacionamento com Deus? Eu aposto que não... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS SUA VISITA! DEUS LHE ABENÇOE!